Receitinhas de inverno - Fondue



Fonte: Google

Aproveitando que o clima está frio, hoje irei compartilhar com vocês duas receitas super práticas de fondue,  que mesmo quem não leva muito jeito na cozinha, vai conseguir fazer tranquilamente.
Eu encontrei as mesmas no aplicativo “Tudo gostoso” e alterei um ou outro detalhe de acordo com minha preferência.

As receitas são deliciosas e você pode fazer para curtir com seu namorado, amigos, etc e sem ter de gastar uma fortuna nos restaurantes especializados.

Vamos lá:


Fondue de Carne ao vinho:



- 600 gramas de filé mignon (ou outra carne de sua preferência ; cerca de 300 gramas por pessoa)
- alho

- cebola

- azeite
- vinho tinto seco

- meio cubo de caldo de carne


1 – Tempere a carne somente com sal e reserve
2 - Em uma panela, coloque o azeite, a cebola e o alho e deixe dourar. 
3 – Coloque meia garrafa do vinho na panela com a metade do caldo de carne.

4 – Assim que o liquido ferver, desligue o fogão e transfira o seu conteúdo para a sua panela de servir fondue.


Eu servi o fondue de carne com pão italiano cortado em rodelas grossas, porém você pode acrescentar também alguns potinhos de molhos para passar a sua carne depois que ela estiver cozida.

 
Fonte: Google

Fondue de Chocolate:



- 400 gramas de chocolate (de preferência metade ao leite e metade amargo)
- 1 caixinha de creme de leite
- 2 shots de conhaque (ou licor de amarula)
- frutas



1 -Derreta o chocolate no microondas por cerca de 40 segundos. Mexa o chocolate e coloque por mais 40 segundos (o tempo pode variar um pouco devido a potência do seu aparelho).
2 – Coloque o chocolate derretido com o creme de leite e o conhaque em uma panela e mexa. Quando estiver homogêneo pode desligar o fogo e colocar a mistura na sua panelinha de fondue.


Frutas recomendadas: banana, morango, kiwi, uva sem sementes.

Café da manhã com vista e cultura



No último feriadão em Maio, viajei para o Rio de Janeiro. Por sugestão de minha cunhada, fomos tomar café no forte de Copacabana, na unidade da Confeitaria Colombo que fica por lá.

A vista de lá é maravilhosa! Vale demais a visita, mesmo pagando um preço salgado para um café da manhã (não é um buffet que come "à vontade"). Avisada por uma amiga, pedimos um "café da manhã individual" e dividimos por dois. Ele realmente consegue satisfazer um casal e custa R$ 45,00.

Além da Colombo, tem também o Café 18. Não sei quanto a qualidade da comida, mas posso afirmar que vista é a mesma e com certeza deve ser um pouco mais barato do que o seu concorrente.



 O forte abre às 10 da manhã, porém se você quer sentar com a melhor vista, que é nas muretas, recomendo chegar ao local as 9:30 da manhã, quando se forma uma fila na porta do local. Chegamos 9:50 e quando conseguimos entrar, só conseguimos mesa do lado de dentro da confeitaria (a lista de espera para o lado externo era cerca de 1 hora). Mas posso dizer que mesmo sentando do lado de dentro, valeu muito a pena, pois depois que comemos ficamos passeando pelo forte.



Para entrar no forte, paga-se uma taxa de R$ 6,00 (meia: R$ 3,00). Além dos cafés, é possível passear pelo forte, que possui uma exposição permanente, que conta a história do Brasil com documentos e objetos ligados à história dos militares. 

Vale a pena visitar esta construção histórica e inovadora, pois ela possui todas as instalações necessárias para que os militares pudessem permanecer lá por um bom tempo sem depender de ajuda externa, o que o torna um projeto único na América do Sul. A Fortificação possui canhões, mapas, móveis e diversos objetos que nos fazem viajar no tempo. É um passeio bem interessante, cultural, com uma vista maravilhosa e que me surpreendeu. Com certeza voltarei lá novamente.




Endereço: Praça Cel Eugênio Franco nº1 Posto 6 Copacabana-RJhttp://www.confeitariacolombo.com.br/
http://cafe18doforte.com/
http://www.fortedecopacabana.com/ 

Dicas aleatórias de Santiago



Casei em Novembro do ano passado e uma das viagens de Lua de Mel foi para Santiago, no Chile. O post de hoje é para resumir algumas dicas aleatórias da cidade que julgamos ser importante compartilhar.

Hospedagem: Pesquisamos diversos bairros e o que nos agradou mais foi o Providência. Ficamos no hotel Presidente, bem próximo a estação de metrô Salvador. Neste mesmo bairro tem diversas opções boas e em conta, como o hotel IBIS.Na época fechamos nosso hotel pelo site Decolar e pagamos cerca de 200 reais a diária. O hotel é ótimo, bem localizado. O único defeito é que ele não tem frigobar.



Castelo Wulff - Vina del Mar

Transfer aeroporto para hotel - Ficamos hospedados no bairro Providência por indicação de alguns conhecidos. O preço do trecho de taxi de lá para o aeroporto custa cerca de 18.000 pesos chilenos. Fizemos este trajeto de táxi apenas na volta devido ao horário. A ida do aeroporto para o hotel, pegamos um ônibus (super comum) e de lá descemos na estação Parajitos e pegamos um metrô. Não lembro ao certo quanto gastamos, mas foi abaixo de 5 mil pesos na época.

Transporte: Metrô, táxi e transporte no geral é bem barato no chile e super eficiente. Gostamos muito. 

Empresa para fazer passeios com um preço legal - Mitur. O stand deles fica dentro do Mercado Central. Fiz um passeio com eles e gostei bastante. Pessoalmente conseguimos negociar o preço e ganhamos um bom desconto comparado com as outras agências. De todas, a mais cara (e famosa) é a Touristik.


Locais turísticos que não podem faltar em sua visita:


Cerro Santa Lucia

1- Em Santiago: 

- Cerro Santa Lucia: prepare o folego para subir escadas! A vista é bem bonita e lá no topo você pode tomar uma bebida típica da cidade, o "Mote con huesillos" (É feita de pêssego (huesillos) e mote, um grão de trigo, todos cozidos juntos em água e açúcar. Bebe-se bem gelado e o ideal é comer tudo depois com uma colherzinha).

- Palacio de La Moneda (reserve a sua visita online AQUI)

- Mercado Central: muitas agências ficam lá. Se quiser comer as famosas "centollas" lá é o local. o único incoviniente é que os garçons e vendedores ficam te  chamando o tempo todo (para quem é de Salvador, é tipo o assédio de lojistas e guias do Pelourinho).

- Palacio das Armas, Cadetral Metropolitana (super linda), Museu Histórico Nacional, Correio Central são boas pedidas pra quem gosta de história e ficam bem pertinho um do outro (na mesma praça).

El Reloj - Viña Del Mar

- Cerro San Cristóbal: dispense a visita ao "batido" e MEGA caro restaurante "El Giratório" e vá ao Cerro San Cristóbal. Suba no furnicular e veja uma das vistas mais lindas da cidade. Tem uma capela super bonita no topo. Valeu muito mesmo a visita... um dos luagres que mais gostei.

- Museu de Belas Artes

- Vinícolas: Não deixe de ir! Fui apenas na Concha y Toro. Fomos com uma agência, mas sai mais barato ir de táxi ou ônibus. Falam super bem da Santa Rita. Se você gosta de vinhos, vale a pena pesquisar e fazer visitas a mais de uma vinícola. A Concha y Toro é bem "comercial", porém vale a pena ir lá, pois eles tem uma boa estrutura. Compramos vários vinhos com preços bem mais em conta do que o Brasil.




 - Não deixe de ir tomar um sorvete na "Bravíssimos". É delicioso! Bem famoso e tem por vários cantos de Santiago. Acho que fomos lá umas 3x. rs


2 - Vina Del Mar e Valparaiso: Vale apenas um dia inteiro para conhecer estas duas cidades que são "grudadas". Fomos sozinhos de ônibus, que é super tranquilo e confortável, porém minha dica é que se possível, prefira ir através de alguma agência, pois Valparaíso é bem perigosa.  Em Vinã, fomos no cassino, na praia (água ultra gelada), no relógio das flores, no Castelo Wulff. Almoçamos por lá e demos uma passeada pela cidade, que é bem bonitinha. Depois fomos de ônibus comum para Valparaíso e mal ficamos lá, pois a cidade é tensa. Detestamos. 

Vale ressaltar que a comida em Santigago é bem cara e facilmente vai embora R$ 200,00 em qualquer refeição mesmo não sendo em um local "grifado". Recomendo também uma visita ao Pátio Bela Vista - lá tem restaurantes bem legais.

Por fim, vale a pena a leitura no blog "Nós no Chile", de uma brasileira que mora lá há um tempinho. Ele pode te render boas dicas, principalmente de restaurantes fora do circuito turístico http://nosnochile.com.br/

"Não sou uma dessas", o livro da Lena da série Girls


Sinopse Skoob: Lena Dunham , a premiada criadora, produtora e estrela da série Girls, da HBO, apresenta uma coleção de relatos pessoais hilários, sábios e dolorosamente sinceros que a revelam como um dos jovens talentos mais originais da atualidade. Em Não sou uma dessas, Lena conta a história de sua vida e faz um balanço das escolhas e experiências que a conduziram à vida adulta.

Comparada a Salinger e a Woody Allen pelo New York Times como a voz de sua geração, Lena é conhecida pela polêmica que desperta e por sua forma única e excêntrica de se expressar e encarar a vida. Engajada, a autora revela suas opiniões sobre sexo, amor, solidão, carreira, dietas malucas e a luta para se impor num ambiente dominado por homens com o dobro da sua idade.



Para quem não sabe, Lena é produtora e atriz, ela escreveu e dirigiu o filme independente Tiny Furniture, de 2010, e é a criadora da aclamada série da HBO, Girls. Em 2013 foi nomeada pela revista Time como uma das pessoas mais influentes do mundo. Em 2012 ela assinou com a Random House um contrato milionário para publicação de seu primeiro livro, que foi disputado mundo a fora por grandes editoras. No Brasil ele foi lançado pela editora Intríseca.

“Não Sou uma Dessas” é uma biografia, na qual Lena relata suas memórias sobre assuntos diversos, como amor, sexo, corpo, amizade, trabalho e outros assuntos pertinentes e comuns na vida de qualquer mulher. Ela conta suas experiências com a mesma sinceridade que conhecemos em Girls, o que é surpreendente e ao mesmo tempo me fez pensar que ela era louca (e sem filtro hahaha). Os relatos da Lena criança são até de certa forma assustadores, e nos faz pensar que talvez ela tenha sido uma criança problemática e totalmente sem noção da realidade. 

A autora compartilha alguns episódios constrangedores que viveu, e nos faz perceber que a vida não é uma sucessão de sucessos e selfies perfeitas de instagram. A vida real muitas vezes é constrangedora mesmo, e através das dos inúmeros detalhes que ela relata no livro, podemos visualizar bem as situações por vividas por ela e até mesmo nos aproximar da personagem.

Lena nos mostra que nosso corpo não precisa ser perfeito, como o das modelos das revistas, para nos sentirmos bem. Que muitos de nós simplesmente não se encaixam naturalmente na vida e na sociedade e tem que encontrar, sozinhos ou não, um lugar e forma para viver e chamar de seus.

O que mais gostei deste livro é que a autora é bem sincera e não tem vergonha alguma de dividir as coisas que já viveu, de expor sua opinião e mostrar que até a vida dela, uma estrela da tv americana, pode não ser tão perfeita. Recomendo demais este livro. As vezes ele até choca de tão sincero que é.


Na pele de uma jihadista - Resenha



Sinopse (via Skoob)

A história real de uma jornalista recrutada pelo Estado Islâmico.
A jovem e frágil Mélodie, recém-convertida ao islamismo, conhece, num chat do Facebook, Bilel, integrante de alto escalão do Estado Islâmico e braço direito de Abu Bakr al-Baghdadi, um dos terroristas mais perigosos do mundo. Após somente dois dias de conversas por Skype, ele já se declara “apaixonado”. Mais do que isso: pede Mélodie em casamento, instigando-a a juntar-se a ele na Síria para viverem juntos uma vida idílica, repleta de riquezas materiais e espirituais.

Mas o que Bilel não sabe é que Mélodie não existe fora do mundo virtual. Ela é, na verdade, Anna Erelle, uma jovem repórter parisiense que investiga as redes de recrutamento de grupos terroristas e suas propagandas digitais.

 Bilel, o Jihadista

O livro conta a historia de Melodie, personagem criada pela jornalista francesa “Anna”, que por meio da internet, consegue adentrar uma das mais violentas organizações do mundo, Estado Islâmico (EI). A pesona Melodie possui 20 anos, é submissa, muçulmana recém convertida, que inicia um relacionamento virtual com uns dos homens mais importantes por trás da organização EI. Por meio dessas conversas, Melodie consegue descobrir mais sobre o esquema de recrutamento usado pela organização, que anualmente alicia milhares de jovens por todo mundo a se juntarem a luta e irem para localidades distantes, onde podem se preparar para morrer sob as graças de Allah por uma causa “maior”. 

O livro narra como Melodie se envolve com Bilel, um homem influente e próximo de Abu Bakr al-Baghdadi, líder do Estado Islâmico, um dos terroristas mais perigosos do mundo. O envolvimento da jovem francesa com o jihadista faz parte do plano da jornalista para poder se infiltrar no E.I. e investigar o que é a Jihad 2.0. Para quem não sabe, este termo é a nomeação da forma de propaganda digital utilizada pelos terroristas para poder recrutar guerreiros, hipnotizados pela violência distribuída ostensivamente nas redes sociais. o Jihad 2.0 é puro e gritante terrorismo digital e Bilel, em contato com Mélodie vai tentando envolvê-la, mostrando o quanto toda aquela crueldade tem um propósito e que ela será tratada como uma rainha se juntando à ele na Síria, onde o E.I. nasceu.

De linguagem simples, a leitura flui de forma rápida, porém preciso falar que este não foi um livro marcante. De certa forma, foi até decepcionante, pois eu achava que ela tinha efetivamente estado presente em território (físico) do E.I. 

A jornalista e autora do livro lançou seu trabalho sob o pseudônimo de “Anna Erelle” e ate hoje vive em reclusão e sobe a constante ameaça de organizações terroristas. Esse fato só confere mais força a obra, como um ato de coragem e de alerta aos acontecimentos que se desdobram diariamente naquele lado do mundo. De qualquer modo é um livro recomendado para pessoas que querem uma introdução bem rápida sobre os conflitos travados na Síria e seus impactos em toda a sociedade.




Para quem gosta de ler sobre histórias verídicas, vale a pena comprar este livro: A Casa do céu: http://www.dressa358.com/2014/09/o-que-andei-lendo-casa-do-ceu.html


Noticia sobre este assunto do jornal Daily Mail: http://www.dailymail.co.uk/femail/article-3110895/Journalist-went-undercover-jihadi-bride.html


Edição: 1
Editora: Paralela
ISBN: 9788565530965
Ano: 2015
Páginas: 208
Autor: Anna Erelle

Wicked no Brasil!



Baseada no best-seller do escritor Gregory Maguire, a superprodução estreou nos palcos mundo afora em 2003 e conta com efeitos especiais de tirar o fôlego, figurinos e cenários deslumbrantes. O espetáculo, que estreou no último dia 4 de Março em São Paulo, traz músicas e letras originais de Stephen Schwartz ("Pippin", "Godspell" e ganhador do Oscar por "Pocahontas" e "Príncipe do Egito"), libreto de Winnie Holzman ("My So Called Life", "Once And Again" e "Thirtysomething"). O musical é dirigido por Lisa Leguillou, baseada na direção original do ganhador de dois prêmios Tony Joe Mantello ("Take Me Out, Love! Valour! Compassion!" e "Monólogos da Vagina") e coreografia do ganhador do Tony, Wayne Cilento ("Aida","The Who’s Tommy" e "How To Succeed"). 


Assistido por mais de 48 milhões de pessoas no mundo e com um faturamento superior a US$3.9 bilhões, "Wicked" tem atualmente cinco produções ao redor do planeta (Nova York, Londres, Austrália, uma turnê no Reino Unido e uma turnê nos EUA. Este é um clássico que atravessa gerações. Eu particularmente adorei a montagem brasileira. Uma mega produção, super organizada desde o recebimento do público, até mesmo a qualidade dos atores em palco. Esse musical, que faz rir e entretem da melhor maneira possível, traz à tona os segredos que levam Elphaba a se tornar uma bruxa “má” e Glinda a ganhar a simpatia dos habitantes da Cidade das Esmeraldas. 


Wicked, por meio de números e performances surpreendentes, mostra que toda história tem diversos pontos de vista e que ser diferente faz de você alguém único e extraordinário. Recomendo demais!!! O espetáculo estará em cartaz até Julho.




Local: teatro Renault em São Paulo

O hambúrguer do sr. Oswaldo



Há uns meses compartilhei uma dica pelo meu instagram e hoje publico ela por aqui. Quem curte um lanche e passará por São Paulo DEVE ir até a lanchonete do seu Oswaldo.

Quem me levou lá foi meu marido (sim, casei!) depois de eu ter ouvido umas quinhentas mil recomendações de diversas pessoas de como era bom este hamburguer. A lanchonete fica na rua Bom pastor, no bairro do Ipiranga e foi fundada em 1966 pelo o mito, sr. Oswaldo (Atualmente ele já é falecido e sua filha - Marta - é quem gerencia o local). Desde então, a hamburgueria serve receitas tradicionais de hambúrgueres em seu balcão, com um molho artesanal PERFEITO de tomate, com pratos de plástico e acompanhados de refrigerantes de garrafa, tudo ao melhor estilo clássico.

O hambúrguer de lá é tão bom e conhecido em SP, que a "famosinha" Lanchonete da Cidade criou um lanche inspirado no tradicional servido pelo sr. Oswaldo.


Antes de ir lá, vale passar umas dicas:
- o local é simples, tem apenas um imenso balcão.
- Cartões não são aceitos, portanto leve cash.
- Filas são constantes, principalmente à noite.
- Eles estão em férias coletivas e só voltam a funcionar dia 17/1. (eles sempre dão férias nesta época).


Hambúrguer do Seu OswaldoRua Bom Pastor , 1659 – Ipiranga - São Paulo – SP
Fanpage: https://www.facebook.com/SeuOswaldo/
Resenhas no Tripadvisor:  https://www.tripadvisor.com.br/Restaurant_Review-g303631-d4079241-Reviews-Hamburguer_do_Seu_Oswaldo-Sao_Paulo_State_of_Sao_Paulo.html

Funcionamento: De segunda a sábado 12h - 22h / Domingo fechado
Obs.: Fecha nos feriados.